Se penso ... logo existo!

Quinta-feira, 19 de Fevereiro de 2009

 

Hoje em dia fala-se constantemente em tantas crises e dificuldades, que questionamos o sentido da nossa existência. O sentido da Vida está no segredo dos Deuses, mas o "nosso" sentido da vida deve ser ponderado e um ponto de referência na nossa existência. Para quê todo este caminho de alegrias e tristezas? Para quê todos estes sacrifícios? Eu posso adiantar que na minha carreira de vida de 45 anos, já vivi bastantes experiências que me qualificaram em várias maneiras. Eu passo a explicar. A minha geração não foi muito chegada à conversa entre pais, isto porque a vida também não era fácil e os nossos pais tinham mesmo de trabalhar muito para nos poderem educarem convenientemente. Mas, e agora? Será sustentável dizer que é tremendamente mais difícil viver e educar filhos neste momento? Esta geração, é uma geração de consumismo, de alta tecnologia, e devido a isso surgem problemas tão graves como o endividamento. Exclamações como, "Tento dar ao meu filho o que os meus pais não me deram!" são corriqueiras nas bocas das famílias da presente geração. Mas será que vale a pena? Será que não existe ingratidão por parte dos nossos filhos? Será que eles conseguem dar valor ao sacrifício que por vezes tantos pais fazem só para que se sintam encaixados na sociedade? Sim, porque isto não é nem mais nem menos um grave problema social. Porque o meu filho me disse que o amigo tem e eu naõ tenho, e o mais grave ainda é os próprios pais darem, porque gostam e querem que o filho tenha, mesmo contra à vontade de alguns. Neste campo, falando no meu percurso de pai, sempre tentei fazer o mesmo às minhas filhas, claro que dentro dos meus limites. Assim foi, e ao longo destes anos, verifiquei que apesar de alguns percalços, a educação que eu e a minha cara metade ensinámos às nossas filhas foi até agora a ideal. O porquê de tanta certeza? Claro que tenho uma explicação. Consiste basicamente no decorrer dos anos, no dia a dia nos muitos dias do Pai e da Mãe, nos Natais nos nossos aniversários....aquelas frases, aquela ingenuidade que nos fazia chorar transformou-se em afirmações vindas directas de uma personalidade que se foi afirmando ao longo destes anos. Ainda há pouco tempo, tivemos uma sincera demonstração de como somos recompensados. O que eu sinto pelas minhas filhas é indescritível, não consigo exprimir o quanto as amo....mas sei com toda a clareza que as amo mais do que a minha própria vida. Se for necessário, daria a minha vida por elas! Tenho de agradecer a Algo, por ter as melhores filhas do Mundo! Para mim são e serão sempre aquelas bebés lindas que ficaram e ficaram para sempre na minha memória! Obrigado à mulher que eu amo, por me ter dado uma descendência da qual me posso orgulhar! 

sinto-me: ORGULHOSO
música: "I've Been Waiting for a Girl Like You" dos Foreigner
publicado por PPires às 14:18

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28


Últ. comentários
Pois....só mesmo tu Paulo....és aquele homem que q...
arquivos
EU OIÇO A COMERCIAL ... E VOÇÊ?

blogs SAPO


Universidade de Aveiro